Paris, a Cidade Luz

Cidade que respira cultura e transpira os odores de sua mundialmente famosa gastronomia

Holanda: liberdade e tradição lado a lado

O encantador país que mantem suas tradições, mas também demonstra toda a modernidade do primeiro mundo

Gramado: um pedacinho da Europa no Rio Grande do Sul

O destino turístico mais procurado do RS atrai o público com suas infinitas belezas e atrações, não só no inverno

Sim, o Rio de Janeiro continua lindo

Uma cidade exuberante que, apesar dos problemas, nos encantou

Uruguai: tradição, tranquilidade e amabilidade

Nosso irmão menor mostra sua face tranquila, suas belezas naturais e cultos à tradição

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

As Casas-Cubo em Rotterdam


Rotterdam é a segunda maior cidade da Holanda, com cerca de 620 mil habitantes. Em Rotterdam está localizado o maior porto marítimo do continente europeu e, até por isso, a cidade foi duramente atacada durante a Segunda Guerra Mundial, período em que a cidade foi totalmente desfigurada. Passado o pesadelo, a reconstrução da cidade não manteve-se apenas na arquitetura tradicional e criou prédios que chegam a ser inusitados. Um dos maiores exemplos disso são as Casas-Cubo de Rotterdam.

Localização


Este símbolo da cidade de Rotterdam está localizado na Overblaak 70, 3011, bem perto da estação de trens e ônibus Blaak e do Markthal, mercado público da cidade, que é outro ícone arquitetônico do país. Por estar perto da estação, é muito fácil chegar até lá usando o transporte público saindo de qualquer local da cidade.

As Casas-Cubo

As casas-cubo foram projetadas pelo arquiteto Piet Blom e inauguradas em 1984. Desde esta data, este ícone arquitetônico tornou-se um dos principais símbolos de Rotterdam. Seu projetista inclinou uma casa normal em um ângulo de 45 graus e imaginou que a soma das mais de 80 casas se transformaria na representação de um bosque, no centro da cidade. Mesmo que na minha visão esta expectativa não tenha dado muito certo, elas chamam muito mais atenção do que qualquer parque do local!

Por incrível que pareça, estes prédios têm, sim, a funcionalidade de casas, como qualquer outra. A grande maioria delas é ocupada por gente normal, que se adapta a este espaço diferenciado, nos três andares de cada uma delas. Para quem deseja conhecer o interior, uma delas tornou-se um museu, dando a ideia de como pode ser montado este lar. O ingresso custa menos de 5 euros!

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Avaliamos a empresa aérea Avianca

Para ir ao encontro de blogueiros Vem pra Sampa, meu! utilizamos a Avianca Brasil. Foi a primeira vez que viajamos com esta companhia aérea. A Avianca tem larga história na aviação, sendo a companhia mais antiga da América do Sul. No Brasil, possui menos tempo de atuação, tendo iniciado as operações através da extinta OceanAir. Atualmente possui cerca de 10% do mercado de aviação brasileiro e dispõe de diversas rotas nacionais e internacionais.

Nossa viagem teve como origem o Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, com destino a São Paulo, Aeroporto de Guarulhos, bem como o retorno no sentido oposto. A ida foi em 07 de outubro e o retorno em 09 de outubro. A escolha da companhia se baseou no melhor preço dentro dos horários que tínhamos disponíveis para a viagem. Não consideramos o preço final barato (R$631,00 para cada um, com taxas já inclusas), mas em outras companhias o preço foi muito superior.

A compra foi bem tranquila utilizando o serviço disponibilizado pela própria companhia através de seu site na internet. O serviço de busca é bastante convencional, sem nenhuma grande mudança com relação aos principais buscadores de passagens. A compra através de cartão de crédito, de forma parcelada, também ocorreu sem nenhum tipo de percalço.

Em ambos os aeroportos tivemos muita facilidade para realizar o check-in. Da mesma forma, não perdemos tempo em filas nem em Porto Alegre, nem em São Paulo. Em Guarulhos, no entanto, os funcionários da empresa só permitiram que despachássemos a bagagem após realizar o check-in em terminal de autoatendimento (toten) - em Porto Alegre emitimos os bilhetes diretamente com o atendente que despachou as malas.

Gostamos muito das aeronaves, muito bem conservadas, com ótimo aspecto. O espaço entre os bancos é excelente, um dos melhores que já tivemos em um avião. Em ambos os vôos estava disponível o serviço de entretenimento, com tela disponibilizando alguns programas de televisão, filmes, desenhos animados, jogos, além do acompanhamento em tempo real do mapa de viagem. A bola fora da empresa é que no trecho entre Porto Alegre e São Paulo não havia fones de ouvido. Entre São Paulo e Porto Alegre, também estava sendo disponibilizado a internet wi-fi durante o voo. Apesar de tentar conectar por várias vezes, o serviço falhou. Ah, também havia tomadas para carregar telefones ou notebooks. Nos dois vôos a empresa ofereceu lanche simples, mas bem gostoso. Melhores do que a média do mercado nesta classe e em viagens com o mesmo tempo de duração.

Depois de tanto tempo olhando com certa desconfiança para a Avianca, esta viagem nos fez enxergá-la com novos olhos. Saiu tudo muito certo, de forma pontual, agradável, com boa estrutura. Tudo dentro de nossas expectativas básicas. Vale muito a pena viajar com a Avianca.

sábado, 22 de outubro de 2016

Testamos o Cabify em duas capitais: veja nossas impressões

Os meios de transporte são pontos fundamentais em qualquer viagem. No Brasil o transporte público infelizmente não tem um padrão de conforto muito aprimorado. E o mesmo podemos falar sobre os táxis, que acabam primando pela economia do taxista em detrimento ao conforto do passageiro. Para suprir esta demanda, tem chegado ao Brasil algumas empresas que disponibilizam o transporte executivo em automóveis de boa qualidade, com conforto e alguns upgrades em relação aos táxis normais.


Uma destas empresas é o Cabify. O Cabify é um concorrente do já famoso Uber. Usamos muito este serviço durante o evento Vem pra Sampa, meu!, que teve o apoio do Cabify, que disponibilizou uma cota para que os participantes pudessem realizar seus trajetos. Usamos várias vezes e aprovamos!


Para chamar o Cabify é necessário ter o aplicativo instalado no smartphone. Aproveite e instale o seu clicando aqui, e ainda ganhe R$20,00 para curtir suas primeiras viagens! A partir daí o aplicativo encontra sua localização pelo GPS, ou você escolhe no mapa onde será o ponto de partida da corrida.


Logo em seguida você digita o seu endereço ou local de destino e o aplicativo já te informa inclusive o preço final a ser cobrado, independente do tempo que você fique no trânsito.


Por fim basta aguardar alguns segundos para que um motorista Cabify seja localizado e acompanhar no mapinha o deslocamento dele até você. O aplicativo apresenta, ainda, uma expectativa do tempo que ele levará para chegar até a sua localização. Casa haja algum problema, tanto você quanto o motorista podem fazer contato pelo telefone. Simples e prático.


O aplicativo permite, inclusive, o agendamento de uma corrida, bastando informar além dos itens anteriores, o horário que deseja a presença do motorista. Além disso é possível configurar alguns itens: se deseja o ar condicionado ligado, qual estação de rádio quer escutar em seu trajeto e até e deseja que o motorista abra a sua porta! É ou não é um tratamento diferenciado?!


Ao final de cada corrida o usuário avalia o motorista, mantendo, assim, o alto padrão dos serviços.Em vários carros que pedimos, havia balas e água mineral disponíveis. Aliás, as garrafinhas de água eram super charmosas!

Além de testar o Cabify em São Paulo, testamos o serviço em Porto Alegre. Da mesma forma o pedido foi bem tranquilo e o carro chegou super rápido em meu local, no centro da cidade. De lá, parti até a estação rodoviária com todo o conforto (muito melhor do que no táxi em que eu havia feito o trajeto anterior!).

Aprovamos o serviço da Cabify com louvor. Motoristas simpáticos e profissionais, ótimos veículos, muito conforto e preços justos.

Aproveite e ganhe um bônus de R$20,00 para usar em sua primeira corrida!
 Cadastre-se aqui no Cabify!

domingo, 16 de outubro de 2016

Vem pra Sampa, meu!

Nos dias 7, 8 e 9 de outubro participamos do encontro de blogueiros de viagem Vem pra Sampa, meu! O encontro reuniu cerca de 60 blogueiros de vários estados brasileiros e teve a organização realizada pelos também blogueiros Alessandra Fratus e Sofia Conchester (do Tô Pensando em Viajar), Kaio Donadelli e Sonia Letycia (do Coisos on the Go) e Erick Stengrat e Katia Nunes (do My Destination Anywhere). Muito mais que um evento para a troca de informações e ferramentas para os blogs, o encontro promoveu a imersão dos participantes por aspectos diferentes da cidade de São Paulo.
Vem pra Sampa, meu! Encontro que reuniu cerca de 60 blogueiros de viagem em São Paulo, no mês de outubro de 2016. Palestras, passeios, diversão. Lindas paisagens urbanas e muita descontração.


Sexta-feira, 07.10

O Vem pra Sampa, meu! teve início na tarde de sexta-feira. Bom, para nós ele começou na sexta bem cedinho (5:30 da manhã!), quando saímos de Caxias do Sul rumo a Porto Alegre, onde pegamos nosso avião para São Paulo. Chegando a capital paulista, fomos direto para o nosso hotel utilizando o transporte público - ônibus e metrô. Considerando que não era horário de pico, foi tudo muito tranquilo e rápido. Em cerca de uma hora chegamos à estação Paulista do metrô, a poucos metros do hotel Ibis Budget. Soltamos as malas, tomamos uma ducha e fomos para o evento!
Vem pra Sampa, meu! Encontro que reuniu cerca de 60 blogueiros de viagem em São Paulo, no mês de outubro de 2016. Palestras, passeios, diversão. Lindas paisagens urbanas e muita descontração. Aeroporo Internacional Salgado Filho, Porto Alegre. Avianca Brasil. Estação da Luz, em São Paulo.

A empresa Cabify (aplicativo para transportes executivos urbanos) foi apoiadora do evento, então utilizamos seus serviços diversas vezes para nossos deslocamentos - falaremos mais sobre isso em novo post. Foi utilizando este serviço que nos deslocamos do hotel até o PlugCXLT (espaço de coworking, algo que eu só conhecia por matérias da televisão e filmes, e que vi pessoalmente em Sampa - parte 1), onde pudemos participar de uma bela explanação de Bruna Toni sobre o Pinterest, uma plataforma de inspiração, em palavras dela. Como não conhecíamos muito sobre esta ferramenta, achamos as dicas bastante produtivas. Ainda estamos testando as funcionalidades, mas logo o Novo Caroneiro estará por lá também!
Vem pra Sampa, meu! Encontro que reuniu cerca de 60 blogueiros de viagem em São Paulo, no mês de outubro de 2016. Palestras, passeios, diversão. Lindas paisagens urbanas e muita descontração. Pinterest, onde estão os experts. Carambola FoodBike.

Neste momento já havíamos visto várias carinhas conhecidas das redes sociais e nos apresentado à alguns outros blogueiros, mas a interação ficou maior ainda durante o super coffee-break disponibilizado aos participantes. Muita comidinha boa, salgados, docinhos, quentes, frios... tudo de bom mesmo! Durante este intervalo entre a primeira palestra e a abertura oficial do Vem pra Sampa, meu!, conhecemos alguns blogueiros que já viajaram boa parte do mundo, algo que acabou nos inspirando mais ainda! Neste momento fomos presenteados, ainda, com um super kit de brindes, com sacola sustentável da Yelp, guias de viagem da Editora Globo, mapas e roteiros na cidade de São Paulo, pela São Paulo Turismo, bloco de anotações e adesivos do Pinterest, um delicioso brownie da Carambola FoodBike, uma garrafinha super estilosa da KLM (com promoção no sábado!), lacres de mala, da SealBag, Tag para malas da São Paulo Tudo de Bom, além do livro Mas Você Vai Sozinha, de Gaía Passarelli, que fez a palestra seguinte.
Vem pra Sampa, meu! Encontro que reuniu cerca de 60 blogueiros de viagem em São Paulo, no mês de outubro de 2016. Palestras, passeios, diversão. Lindas paisagens urbanas e muita descontração.
Foto: Vem pra Sampa, meu!
Após o intervalo, Gaía Passarelli, ex reporter e ex VJ da MTV contou como surgiram as ideias que originaram seu livro Mas Você Vai Sozinha?, frase muito ouvida antes de suas inúmeras viagens. Gaía, em seu livro, relata várias passagens em suas trips, mostrando que sim, mulheres podem ser felizes viajando de forma independente. Além de falar sobre o livro, deu várias dicas para que os blogueiros transformem em realidade o sonho de contar suas viagens em livros. Além da Gaía, nesta primeira  noite do evento ainda tivemos as explanações de Cristopher Correia, sobre a RentCars, plataforma que permite a comparação no valor de aluguéis de carros em todo mundo, cujo nosso blog é afiliado (e de quem fomos presenteados, através de sorteio no evento, com duas diárias de carro no Brasil), e do pessoal do Bem São Paulo City Experiences, que falaram sobre seu surgimento, valores, além de apresentar os roteiros que faríamos no sábado.
Vem pra Sampa, meu! Encontro que reuniu cerca de 60 blogueiros de viagem em São Paulo, no mês de outubro de 2016. Palestras, passeios, diversão. Lindas paisagens urbanas e muita descontração. Mas você vai sozinha?, de Gaía Passarelli. Editora Globo.
Foto: Vem pra Sampa, meu!
Ao final da primeira noite do Vem pra Sampa, meu!, ainda fomos brindados com rodadas de chopp artesanal produzidos pelas cervejarias Muamba e Leuven, do interior de São Paulo. Neste clima de total descontração ainda houve sorteio de vários brindes da Viagema, Passuapé e Casa 658. Um final muito animado, com promessa de um final de semana super divertido e informativo em São Paulo.

Para fechar a noite, já sem a galera blogueira, fomos até um boteco pertinho da Paulista, o Coffee Corner. Passamos de Cabify por ali, voltando ao hotel, e percebemos que a animação era grande. Voltamos até lá a pé, sem problema nenhum com a segurança (uma preocupação nossa em Sampa). O local tem preços muito bons, cerveja gelada e, pelo que percebemos, porções bem generosas! Aprovamos!

Sábado, 08.10

O sábado do Vem pra Sampa, meu! era o dia que mais esperávamos. Afinal a equipe do Bem São Paulo havia prometido uma degustação de seus roteiros. Os blogueiros dividiram-se, então, em três grupos. Um realizaria os passeios de bicicleta, pelo PedalArte. Outro vivenciaria o roteiro Arte por toda parte. E o nosso grupo passaria pelo roteiro Cool São Paulo, passando por galerias alternativas, murais de grafite e outros locais maneiros e não tão explorados turisticamente pela maior metrópole do país. Mas infelizmente esse passeio deixou dissabores. Durante a manhã, o atraso da pessoa que nos guiaria foi longo (pelo menos conhecemos um local bem bacana, que é o Mirante 9 de Julho). Depois acabamos fazendo deslocamento bem grande, de carro, até o Parque do Ibirapuera, mais precisamente até o Museu de Arte Contemporânea (MAC), para que pudéssemos ter uma visão panorâmica do Parque (não muito cool, né?!, apesar de belíssimo). E pela manhã, do roteiro, foi só isso. No sábado pela manhã o que mais nos animou foi a promoção promovida pela KLM, que premiaria com um brinde a melhor foto onde a garrafinha dada de brinde na noite anterior aparecesse em nosso local preferido do passeio. Rolaram belas fotografias, e o ganhador da bolsa de viagem foi o blog Longe e Perto, com essa foto.
Vem pra Sampa, meu! Encontro que reuniu cerca de 60 blogueiros de viagem em São Paulo, no mês de outubro de 2016. Palestras, passeios, diversão. Lindas paisagens urbanas e muita descontração. Vistas panorâmicas de São Paulo, a partir do Terraço Itália.

Após novo deslocamento, voltamos para a área central da cidade para conhecer o Terraço Itália, na companhia dos demais grupos. O Terraço Itália é um belíssimo restaurante e piano bar, localizado no 41º andar. Aproveita-se muito bem de uma visão panorâmica e em 360 graus da cidade de São Paulo. Lá do alto é possível ver a floresta de concreto que é essa metrópole. Além da vista, o restaurante é muito aconchegante, muito bem decorado, mantendo um estilo e identidade própria. Para tornar nossa visita inesquecível, pudemos brindar com um espumante servido por conta da casa!

Ao sair do Terraço Itália, fizemos parte do trajeto a pé, passando pelo famoso edifício Copan, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer e um dos símbolos da capital paulista. Para nosso azar, o prédio está passando por uma reforma e estava coberto por uma tela azul. Mesmo assim pudemos admirar esta bela obra. Seguindo nosso caminho, fomos até a Matilha Cultural, um espaço de arte alternativa da cidade. A Matilha Cultural estava apresentando a exposição Arte Tapajós Livres, com obras de arte confeccionadas pelo indígenas, bem como uma locação sobre a necessidade da preservação de seu ambiente de vida, ameaçada pela construção de uma usina hidrelétrica.
Vem pra Sampa, meu! Encontro que reuniu cerca de 60 blogueiros de viagem em São Paulo, no mês de outubro de 2016. Palestras, passeios, diversão. Lindas paisagens urbanas e muita descontração. Restaurante típico italiano no bairro do Bixiga em São Paulo: Villa Távola.

Em seguida nos deslocamos ao bairro do Bixiga, para um delicioso almoço no tradicional restaurante italiano Villa Távola. Este restaurante, que existe a mais de 50 anos, representa muito bem a tradição italiana que encanta com suas massas e molhos. O restaurante apresenta dois ambientes bem distintos, sendo um mais tradicional e o outro um pouco mais descolado, com mesas grandes, onde fomos servidos. Almoço providencial para recarregar as energias e partir para o restante do passeio.
Vem pra Sampa, meu! Encontro que reuniu cerca de 60 blogueiros de viagem em São Paulo, no mês de outubro de 2016. Palestras, passeios, diversão. Lindas paisagens urbanas e muita descontração.

Do restaurante, partimos para o Cartel 011 que, conforme seu site destaca, "é uma plataforma de cultura e consumo jovem na metrópole de São Paulo. Com abordagem progressiva e multidisciplinar: arte, moda, design, cultura contemporânea, gastronomia e entretenimento". E resumindo, foi isso mesmo o que encontramos lá. Uma loja conceito, uma mercearia super moderna, um restaurante, uma roda de samba. Um espaço realmente multicultural (algo que eu só conhecia por matérias da televisão e filmes, e que vi pessoalmente em Sampa - parte 2).
Vem pra Sampa, meu! Encontro que reuniu cerca de 60 blogueiros de viagem em São Paulo, no mês de outubro de 2016. Palestras, passeios, diversão. Lindas paisagens urbanas e muita descontração. Locais inspiradores.

Passamos ainda por alguns lugares inspiradores e pouco comuns em outros lugares, como o La Quiche Bistrot e seu "telhado de guarda-chuvas", o Las Magrelas Bar & Bicicletaria, que une o espaço de um bar com uma oficina de bikes (algo que eu só conhecia por matérias da televisão e filmes, e que vi pessoalmente em Sampa - parte 3), um setor da cidade, no bairro Pinheiros, com bares alternativos e recheados de grafites e decoração com jornais e pinturas rústicas nas paredes, a loja Diária, criada por blogueiros de viagem e que buscam coleções inspiradas em suas viagens. Ufa! Muita coisa nova e realmente inspiradora. Tiramos muitas ideias legais ao perceber que sonhos poder se tornar realidade com trabalho, empenho e planejamento.
Vem pra Sampa, meu! Encontro que reuniu cerca de 60 blogueiros de viagem em São Paulo, no mês de outubro de 2016. Palestras, passeios, diversão. Lindas paisagens urbanas e muita descontração. Arte urbana no bairro Pinheiros e no Beco do Batman.

Para finalizar o passeio por São Paulo, fomos até o Beco do Batman, local de arte alternativa em São Paulo e que cada vez mais conquista apreciadores. Com muitas paredes lindamente grafitadas, atrai tanto a população local, como grande número de turistas. Há trabalhos impactantes, muitas cores, muitas mensagens. Os grafites são refeitos de tempos em tempos, o que faz com que "sua exposição" não seja permanente. Ou seja, é sempre válido retornar para (re)conhecer o local outras vezes.
Vem pra Sampa, meu! Encontro que reuniu cerca de 60 blogueiros de viagem em São Paulo, no mês de outubro de 2016. Palestras, passeios, diversão. Lindas paisagens urbanas e muita descontração. Boteco São Conrado, pertinho do Beco do Batman.
Foto: Vem pra Sampa, meu!
Depois de tanto caminhar e experimentar novas sensações pela capital paulista, nada melhor do que aproveitar as novas amizades e curtir um chopp gelado no Boteco São Conrado! Mas o dia ainda não terminava por aqui, não! Depois de uma passadinha no hotel, fomos encontrar a galera na Cervejaria Nacional. As cervejas produzidas por lá são elaboradas por eles mesmos, e batizadas em homenagem a cultura brasileira, como Saci, Kurupira, Mula. Além da degustação das cervejas e de comidas deliciosas, a cervejaria abre um tour pela área produtiva, com explicações técnicas sobre a elaboração da bebida.
Vem pra Sampa, meu! Encontro que reuniu cerca de 60 blogueiros de viagem em São Paulo, no mês de outubro de 2016. Palestras, passeios, diversão. Lindas paisagens urbanas e muita descontração. Avenida Paulista durante a noite.

Para terminar a noite, demos um passeio pela Avenida Paulista, repleta de luzes, cores e expressões artísticas. Muita gente passando por ela por volta das onze da noite. Pessoas passeando, outras ainda voltando do trabalho. Algumas bandas fazendo apresentações ao vivo nas calçadas, muita gente jovem reunida tomando uns pileques. Avenida multicultural!

Domingo, 09.10

O domingo, último dia do encontro, começou de forma sensacional! Todos os blogueiros do evento foram convidados pelo Hotel Ramada São Paulo Itaim Bibi a tomar café da manhã com eles. E o café deles é delicioso! Muitas opções entre pães, bolos, biscoitos, frios, doces e uma panquequinha com calda de chocolate divina. Logo após o café da manhã, fomos até a piscina do hotel, onde houve uma pequena apresentação do estabelecimento e, logo após, um show de prêmios do Vem pra Sampa, meu! Foram sorteados diversos brindes e, como a sorte estava ao nosso lado, ganhamos dois prêmios: o livro Uma viagem pelos países que não existem, de Guilherme Canever, e um kit com deliciosos brownies da Carambola FoodBike.
Vem pra Sampa, meu! Encontro que reuniu cerca de 60 blogueiros de viagem em São Paulo, no mês de outubro de 2016. Palestras, passeios, diversão. Lindas paisagens urbanas e muita descontração. Café da manhã no hotel Ramada.

Após a foto oficial da visita ao hotel, nos despedimos dos novos amigos, já que não seguiríamos para os mesmos passeios. Foram dias intensos com muitas pessoas interessantes compartilhando conhecimento, alegrias e frustrações dos blogs. Tivemos a oportunidade de conhecer lugares novos, situações diferentes e ganhar muita inspiração tanto para viagens quanto para projetos de vida. Aprendemos muito e gostamos muito de participar deste encontro, que foi super bem organizado!

Para saber mais sobre o evento, busque #VemPraSampaMeu nas redes sociais e veja mais imagens e textos dos outros participantes! 

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Biblioteca Pública de Amsterdam

Biblioteca Pública de Amsterdam, por novocaroneiro.com

Amsterdam é uma cidade efervescente. Local em que a juventude européia se junta para curtir, beber, ir para a balada, fumar uns becks e tomar cerveja de qualidade. Mas muito mais que isso, Amsterdam exala cultura por seus canais, que unem a cultura holandesa e européia. E um dos locais que mostram todas as facetas da Holanda é a Openbare Bibliotheek Amsterdam, ou Biblioteca Pública de Amsterdam.

Localização
A Biblioteca Pública de Amsterdam está localizada na mesma região que a Centraal Station, de onde partem grande número de trens, trams (bondes) e ônibus urbanos e interurbanos. A beira de um dos canais (como quase tudo na cidade), é bem fácil de achar o prédio, que possui uma arquitetura única e um grande letreiro.

Ingressos e horários

A entrada é livre tanto para moradores quanto para turistas. Também é possível consultar todo o acervo, sem custo e até acessar a rede wifi, após um cadastro.

A Biblioteca fica aberta entre 10h e 22h, diariamente.

Biblioteca Pública de Amsterdam, por novocaroneiro.com

Muito mais que livros, a Biblioteca Pública de Amsterdam oferece a oportunidade de uma visita inclusiva ao mundo da cultura. Unindo uma arquitetura externa que foi pensada visando agregar o centro urbano e dar melhores condições de conforto e luminosidade a um interior repleto de modernidade, este local precisa ser visitado. Sentimos muito o contraste desta biblioteca com a maioria das que temos no Brasil, e a diferença é gritante. Talvez possamos até traçar um paralelo entre a valorização cultural de lá e de cá. Mas esse não é o objetivo deste texto, então, voltemos ao turismo.
Biblioteca Pública de Amsterdam, por novocaroneiro.com

Após entrar na Biblioteca, temos visões surpreendentes. A decoração é montada em células de prateleiras por assunto, que parecem complementar um corpo ainda maior. Há alguns locais específicos para a leitura, com poltronas, sofás e uma espécie de bolha em que pode-se isolar de todo o ambiente da principal metrópole do país para se concentrar nos estudos. Além de disponibilizar livros, a Biblioteca Pública de Amsterdam possui um acervo com milhares de revistas, jornais, CDs Roms e DVDs que podem ser consultados gratuitamente no local, ou alugados, pagando-se uma taxa anual.

Os vários andares da Biblioteca são interligados através de escadas rolantes ou elevadores, sendo acessíveis para deficientes físicos. Ao subir-se, é possível desfrutar de belíssimas vistas em uma janela panorâmica (no inverno) ou em um terraço (estações quentes). Lá de cima é possível observar a cidade, os canais, o restaurante chinês flutuante... enfim, um lugar ideal para tirar fotografias das paisagens de Amsterdam.

Para saber mais

Ducs Amsterdam
Vituvius
TripAdvisor

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Onde ver Paris do alto

Paris é uma cidade incrível! Tem atrações para serem devoradas por semanas, sem parar. A capital francesa tem uma grande vantagem para quem gosta de bater perna: ela é praticamente toda plana! E isso nos leva a outra forma de ver a cidade: do alto de prédios e monumentos históricos.

Para facilitar a sua vida nesse momento, listamos os melhores locais para se observar Paris de cima:

1. Catedral de Notre Dame

A Catedral de Notre Dame habita os sonhos infantis, após conhecer-se a história do Corcunda de Notre Dame. A visita a Paris nos dá a chance de dar vida para essa fábula. Primeiro ao visitar a igreja, que tem uma fachada belíssima, cheia de detalhes que podem ser admirados por muito tempo. Segundo pelo interior da igreja, que também é repleto de belezas em seus vitrais e imagens. Para completar a transformação do sonho em realidade é necessário um pouco de esforço. São cerca de 400 degraus que levam até os gárgulas que por tantos anos ficam observando a Paris ao longe.

Como a Catedral de Notre Dame fica bem próxima ao centro de Paris, a vista é belíssima. Observa-se o movimento das ruas, os barcos cruzando os canais, a Torre Eiffel ao fundo. Apesar de cansativo, cada degrau subido vale a pena, pois realmente é incrível ficar admirando a Cidade Luz do topo de Notre Dame.

Ingresso: visita à Catedral é gratuita. Para subir às torres paga-se entre 8 e 10 euros, e aguarda-se vários minutos, já que a fila costuma ser grande e há limite de pessoas simultaneamente no topo da igreja.

2. Arco do Triunfo
O Arco do Triunfo é um dos monumentos símbolos de Paris. Originalmente construído para a comemoração de batalhas vencidas, hoje dá lugar a comemorações políticas e esportivas. Além de todo o lado histórico (há várias menções a batalhas vencidas em suas paredes, além de abrigar o túmulo do soldado desconhecido), o Arco do Triunfo tem uma das mais belas vistas da capital francesa. Do alto do monumento é possível acompanhar o ritmo parisiense, já que está localizado junto a uma das mais famosas ruas do mundo, a Champs Elisées. Além disso a vista do Arco do Triunfo é panorâmica, podendo-se observar todos os lados da cidade. Através de alguns telescópios é possível buscar os pontos de interesse e ter pelo menos uma noção da distância deles.

Ingresso: entre 10 e 12 euros. O acesso é bem tranquilo, apesar do grande número de turistas que busca a visita.

3. Torre Eiffel
Visitar a Torre Eiffel é a realização de um sonho. Até por isso esta foi nossa primeira visita na capital francesa, logo depois de deixar as malas no hotel. Num segundo momento voltamos até ela para ter a magnífica vista do alto deste monumento. E a vista é incrível. Como a Torre é muito mais alta que quase qualquer ponto de Paris, temos a vista de toda a cidade. A Torre oferece dois níveis para a observação da cidade. O primeiro fica a cerca de 115 metros de altura (pode ser acessado através de escadas ou elevador) e o mais alto fica a 276 metros do chão (acessado por elevador).

Há muitos turistas que sobem ao topo da torre, já que este é o monumento mais visitado no mundo. A vista é magnífica e, para tornar o momento ainda mais romântico, há um bar que vende champanhe lá no alto.

Ingresso: 15 euros para adultos subirem até o topo.

4. Sacre Coeur
A Basílica de Sacre Coeur está localizada no alto de um dos poucos morros de Paris, no animado bairro de Montmartre. Pelo simples fato da capital francesa ser praticamente plana e a Basílica estar no alto do morro, a vista panorâmica da cidade se faz encantadora. As escadarias da Igreja viram arquibancadas para se contemplar a cidade. Muitas pessoas (turistas e nativos) vão para lá durante a tarde curtir a vista. Além disso, shows de locais são bem comuns nas escadarias, o que anima ainda mais o ambiente.

Ingresso: grátis. Pode-se pagar o furnicular para subir o morro, mas também é possível chegar até lá andando.

5. Torre de Montparnasse
Fonte: Divulgação - site da empresa
O mais alto edifício de Paris abre as portas para uma vista privilegiada. De seu 56º andar (onde chega-se em um elevador que leva apenas 38 segundos para fazer o trajeto) a vista é incrível. Paris vista de outras perspectivas. De todas as dicas, esta foi a única que não visitamos, mas pelo que consta, vale a pena fazer o passeio. Também é possível aproveitar a subida e fazer uma refeição num restaurante com a mais bela vista da cidade.

Ingressos: pra uma subida, 15 euros.Há uma promoção para duas subidas (para ver a cidade durante o dia e durante a noite), por 20 euros e pode ser usado durante 48 horas.

Para mais dicas de Paris, clique aqui!

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Heineken Experience, Amsterdam


Simplesmente uma das maiores cervejarias do mundo abrindo suas portas para o mundo. Este poderia ser um resumo do que se trata a Heineken Eperience, em Amsterdam. Mas é claro que é muito mais que isso. A Heineken Experience, instalada em uma antiga fábrica da cervejaria holandesa, tenta trazer ao visitante aquilo que importa para a marca: a qualidade dos ingredientes, sua história vencedora, os locais onde ela quer ser vista e a descontração que ela oportuniza.

Localização


Há cerca de três quilômetros de Centraal Station, é muito fácil chegar à Heineken Experience. O trajeto pode ser tranquilamente feito a pé, ou através do transporte público, utilizando os trams (bondes) de número 16, 7, 10 ou 4. A Heineken Experience não fica muito distante de outros pontos de visita obrigatória, como o Vondelpark ou o Museu Van Gogh.

Ingressos e horários

O ingresso para a visita normal (aque nós fizemos) custa 16 euros para adultos. Crianças agam 12,50 euros e não podem degustar o produto. Há outras opções de visitas, que podem ser acessadas aqui.

O horário de visitação, de segunda a quinta-feira ocorre das 10h30min às 19h30min (acesso até 17h30min). De sexta-feira a domingo, o horário é das 10h30min às 21h (acesso até às 19h). Nos meses de julho e agosto, o horário é estendido durante toda a semana. Para informações adicionais, acesse aqui.

Um dos locais preferidos pelos jovens em Amsterdam (ao lado destes outros dos quais falamos em outra postagem), a Heineken Experience merece ser visitada. Mas é bom se programar: quando fomos, chegamos no final da tarde e só nos deixaram entrar, apesar da fila, pois tínhamos comprado o ingresso antecipadamente pela internet. Por ser uma cervejaria tão reconhecida, o número de visitantes é muito grande.

Logo após o acesso ao prédio, temos a parte histórica da visita, que apresenta os rótulos antigos da cervejaria, os valores da empresa e a forma de preparação deste líquido precioso. Pode-se, inclusive, conhecer cada etapa da preparação e degustar a cerveja ainda não pronta... e antes de concluída ela é horrível! Há vários equipamentos antigos que foram usados na produção da cerveja e que hoje servem para apresentar o produto aos visitantes deste museu. Há muitas luzes, muitos vídeos, em um ambiente que consegue reunir a história e a tecnologia.

Conforme passa-se pelas intalações, fica mais evidente onde a marca quer ficar casada. São espaços alusivos ao futebol - a Heineken é há anos a patrocinadora da Uefa Champions League, maior compatição de clubes do mundo, a música - patrocina vários festivais de peso e a tecnologia e envolvimento com os fãs da marca. São muitos cenários para fotos e um espaço em que o visitante passa a fazer parte de um filme com temas holandeses (que depois pode ser enviado por e-mail).

Para finalizar a visita, somos direcionados a um bar, em que os balcões são em formato da estrela vermelha que estampa o logotipo da Heineken, para aprendermos a servir e a provar a cerveja. Se bem que com tanto sabor, e de tão conhecido este paladar, a aula de degustação nem é tão necessária (principalmente por ser em holandês...). Depois das demonstrações, somos levados ao bar oficial da Heineken Experience, um ambiente super descolado, com grande número de jovens, principalmente europeus, que aproveitam o ambiente para brindar com os amigos e paquerar. Ah! Para ficar ainda melhor, o ingresso dá direito a dois copos de cerveja e uma tulipa de recordação.

Para saber mais:

Site oficial da Heineken Experience
Blog Apaixonados por Viagens
Blog O que se faz

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Museu de Ciências e Tecnologia da PUC-RS, Porto Alegre


Localizado em Porto Alegre, o Museu de Ciências e Tecnologia da PUC (Pontifícia Universidade Católica) é um daqueles locais cuja visita deveria ser obrigada quando se está na escola. Com suas exposições, fica muito mais fácil de se entender toda a teoria que é passada pelos professores na sala de aula.

Localização

O Museu de Ciências e Tecnologia da PUC está localizado na avenida Ipiranga, 6.681, no bairro Partenon, na capital gaúcha (mapa abaixo).


O local disponibiliza estacionamento aos visitantes, disposto em várias áreas do campus universitário, com valores disponíveis aqui. Para quem parte do centro da cidade, há várias linhas de ônibus e lotações que param na frente do prédio do Museu (consulte aqui, por logradouro, inserindo Ipiranga, Av). Em nossa visita, permanecemos lá por cerca de quatro horas e, no estacionamento descoberto, pagamos R$12,00.

Ingressos

Valor normal: R$28,00
Meia entrada: R$14,00, pra estudantes, professores, diplomados pela PUC, menores de 15 anos, maiores de 60 anos
Ingresso adicional necessário para o planetário inflável, ao valor de R$5,00
Os ingressos são adquiridos na bilheteria, na entrada do Museu. O pagamento pode ser feito em dinheiro ou cartões de crédito e débito. Após a compra do tíquete, são permitidas saídas e regressos, desde que a pulseira (que permite os acessos) não seja danificada.

O Museu

O Museu de Ciências e Tecnologia da PUC-RS é um local onde todas as teorias aprendidas na escola são colocadas em prática. Várias das teorias apresentadas pelos professores de física e química estão ali, em experiências interativas e que agregam ainda mais conhecimento, além de facilitar a compreensão de como as coisas realmente acontecem no mundo. O Museu é dividido em três andares (ou arenas), e nestes há várias exposições. Algumas são permanentes, outras temporárias.

Já na chegada ao Museu, antes ainda da porta de entrada, somos recebidos por um dinossauro! Isso mesmo, ali do ladinho da porta há uma réplica do Carnotauro recepcionando o visitantes. Isso já nos deu a temperatura do que esperar lá dentro. Logo após a porta de entrada, há a bilheteria, onde nos explicaram um pouco sobre a visita e que pode-se entrar e sair do local quantas vezes quiser, desde que a pulseira que dá acesso ao prédio não seja rompida. Depois disso, foi pura ciência!

Os atrativos do MCT em muitos casos exigem a participação do visitante para se tornarem completas. No primeiro andar do prédio encontramos uma área destinada a crianças menores, onde estão expostos alguns animais empalhados, alguns microscópios mostrando em detalhes os insetos, além de haver bancadas para desenho e computadores com jogos educativos. Ainda no primeiro andar, ou Arena 1, um dos grandes destaques é a ossada de baleia que fica pendurada e que pode ser vista de todos os ângulos de praticamente qualquer ponto do Museu. Também neste setor encontramos algumas experiências, como a que prova a rotação da Terra (O Pêndulo de Foucault), simulação com a dilatação de metais e uma que simula a força gravitacional. Esta última trata-se de um equipamento em que o visitante entra na brincadeira (se tiver entre 1,40m e 1,80m - fiquei de fora!) e pode ficar girando num globo! Ainda neste setor, em decorrência dos Jogos Olímpicos, havia uma mini pista de atletismo, onde poderíamos simular a largada de uma corrida, onde era medido nosso tempo de reação na largada e velocidade atingida. Fui muito bem nesta simulação, quase um Bolt!

No segundo andar, além de termos uma visão panorâmica do andar inferior, pudemos participar de outras experiências e adquirir ainda mais conhecimento. Começamos utilizando o poder da mente para mover uma bolinha pela mesa. Isso mesmo, através de computadores e equipamento ligado em nossa cabeça, emitimos ondas que movimentaram uma pequena esfera pela mesa. Demais! Logo depois há um setor destinado ao corpo humano, com manequins mostrando ossos, músculos, além de conhecer-se o processo de fecundação e várias fases do feto. Também há uma exibição das várias deficiências visuais cotidianas, como miopia, astigmatismo e daltonismo, onde pudemos ver a diferença da visão dos portadores de cada uma delas. Há, também, algumas experiências de coordenação e de lógica por aqui. Na Arena 2 há, ainda, uma sala que trata da arqueologia, mostrando vários itens encontrados em experiências da Universidade.

No segundo andar do Museu de Ciências e Tecnologia da PUC-RS há exposições belíssimas que tratam do mundo. É apresentada a perspectiva dos planetas e várias informações sobre o planeta Terra. Um dos equipamentos mais legais é o Globo Mágico, que trata-se de um globo terrestre repleto de informações e que reflete estas informações no planeta. Por exemplo, as buscar-se sobre as nuvens no mundo, elas são exibidas, se buscarmos pelos ventos, as correntes aparecem sobre a terra. Muito bonito e super didático. Além disso, neste setor do Museu, há exposições sobre a formação dos continentes, sobre terremotos (com um terremoto de verdade!), vulcões, marés, redemoinhos... tudo que impacta nossa vida cotidiana. Aqui, ainda, há mostra de pedras preciosas (inclusive com aparelho que mede a radiação delas) e um setor destinado à fauna.

Na Arena 3, último nível do Museu, existe uma exposição sobre a geração de energia e uma casa inteligente, que se propõe a utilizar melhor nossos recursos. Exemplificando a geração da energia, há uma série de motores diferentes, exposto em detalhes e que demonstra seu funcionamento. Ainda sobre energia, há experiências que podem ser realizadas, como o levantamento de peso utilizando-se roldanas ou ângulos diferentes na puxada. Há uma cadeira que "levita" graças ao poder do motor que aspira o ar, demonstra-se o poder do ímas ao parar uma bicicleta, dentre várias outras demonstrações práticas. Também neste andar do museu há um espaço com brincadeiras, como quebra-cabeças e jogos de raciocínio. Durante nossa visita estavam expostos vários insetos e demonstrava-se como os pesquisadores fazem para catalogar e diferencias estes animais. Por aqui, ainda, ocorria uma exposição sobre investigações criminais e o auxílio que a ciência dá para achar-se o culpado. Em espaço intuitivo, somos convidados a auxiliar a investigação do roubo de um osso de dinossauro do Museu.

O Museu apresenta algusn itens que chamam ainda mais a atenção. Um deles é a esfera que emite raios elétricos coloridos. Conforme você aproxima a mão, eles se direcionam para ela, formando belíssimas cenas. Em alguns momentos do dia há a apresentação do show de eletromagnetismo, momento em que a criançada coloca suas mãos em um gerador e com o poder da eletricidade os cabelos ficam em pé! É bem legal ver os cabelos virados completamente para o céu. Outra dica bem legal é participar do plantário inflável (ingresso adicional de R$5,00). Dentro de uma espécie de iglu inflável, completamente escuro, é apresentado o céu noturno de Porto Alegre e são dadas muitas explicações sobre estrelas e constelações. Vale a pena.

Por ter toda esta gama de experiências e por mostrar a teoria da sala de aula na prática, o Museu de Ciências e Tecnologia da PUC-RS é muito procurada por escolas. É normal estar visitando o Museu enquanto excursões escolares estejam por lá também. Um passeio destinado não só para as crianças, mas também aos adultos, já que adoramos conhecer este lugar.

Para saber mais:
Vida de Turista
Repensando Museus