Paris, a Cidade Luz

Cidade que respira cultura e transpira os odores de sua mundialmente famosa gastronomia

Holanda: liberdade e tradição lado a lado

O encantador país que mantem suas tradições, mas também demonstra toda a modernidade do primeiro mundo

Gramado: um pedacinho da Europa no Rio Grande do Sul

O destino turístico mais procurado do RS atrai o público com suas infinitas belezas e atrações, não só no inverno

Sim, o Rio de Janeiro continua lindo

Uma cidade exuberante que, apesar dos problemas, nos encantou

Uruguai: tradição, tranquilidade e amabilidade

Nosso irmão menor mostra sua face tranquila, suas belezas naturais e cultos à tradição

terça-feira, 2 de maio de 2017

Atração grátis em Gramado: Le Jardin - Parque de Lavandas

Gramado é o principal destino turístico do Rio Grande do Sul. Possui muito charme, em uma cidade que parece ter saído do cenário de filmes. Com todas as qualidades, tem, no entanto, um probleminha: costuma ter atrações e serviços bem caros! Principalmente durante as principais festas da cidade, como a Páscoa, o Natal Luz e o Festival de Cinema. Mas mesmo com estes predicados, podemos encontrar em Gramado ótimas atrações gratuitas, sendo uma delas o Le Jardin - Parque de Lavandas.
Le Jardin Parque de Lavandas. Parque com acesso gratuito em Gramado-RS, que reúne em grande área belíssimos jardins, muitas flores e estufas.


Localização

O Le Jardin está localizado na Rodovia RS 115, nº 37700, no bairro Várzea Grande, em Gramado. Fica no início da estrada que liga Gramado a Três Coroas. Para quem sai de Gramado, fica do lado esquerdo da rodovia. Saindo do centro de Gramado, da Avenida Borges de Medeiros, o Le Jardin fica a cerca de 4 km.


O Le Jardin Parque de Lavandas

Um local surpreendente. Assim posso resumir meu sentimento ao conhecer o Le Jardin Parque de Lavandas, em Gramado. E pensar que fomos parar lá após uma busca de "atrações gratuitas em Gramado", no Google!
Le Jardin Parque de Lavandas. Parque com acesso gratuito em Gramado-RS, que reúne em grande área belíssimos jardins, muitas flores e estufas.

Logo na entrada nos deparamos com um grande letreiro, indicando que ali está o lugar. Após o pórtico e estacionarmos o carro (também grátis), subimos as escadas que dão acesso à loja e aos jardins, e logo nos deparamos com um lindo cenário, muito florido e com um pequeno e charmoso chafariz, tornando a sensação ainda mais agradável. Aqui da entrada, já podemos observar, ao fundo, parte de toda a magia do ambiente, que, com tantas cores, passa alegria e bem estar.
Le Jardin Parque de Lavandas. Parque com acesso gratuito em Gramado-RS, que reúne em grande área belíssimos jardins, muitas flores e estufas.

Conforme fomos andando pelo Le Jardin, percebemos que cada detalhe é pensado. O uso das flores é divino, transformando simples canteiros em jardins bem elaborados. Um prato cheio para que gosta ou trabalha com jardinagem e decoração.
Le Jardin Parque de Lavandas. Parque com acesso gratuito em Gramado-RS, que reúne em grande área belíssimos jardins, muitas flores e estufas.

Na grande área do empreendimento, há, ainda, um pequeno bosque e um setor com várias estufas, onde são produzidas as mudas de flores, temperos, folhagens que são usadas na decoração do local e que também podem ser adquiridas pelos visitantes. São inúmeras variedades, com preços bem em conta. Vimos plantinhas a partir de R$5,00 por lá.
Le Jardin Parque de Lavandas. Parque com acesso gratuito em Gramado-RS, que reúne em grande área belíssimos jardins, muitas flores e estufas.

Anexo ao jardim, se encontra a loja temática do Le Jardin. A decoração do ambiente é feita com os próprios produtos da loja, o que a torna encantadora. E não é preciso falar que o carro-chefe da boutique são arranjos de lavanda, não é mesmo?! Além disso há uma série de artigos decorativos, além de arranjos e cosméticos. Também no ambiente da loja há um espaço destinado a um pequeno café. Ali são servidos alguns cafés, chás e salgados, além daquele que dizem ser o melhor struddel de Gramado. Provamos apenas o chá, servido em uma caneca, e realmente é muito bom. Ainda mais se deliciado apreciando parte dos jardins!

Booking.com

Serviço:

Horário de funcionamento: de terça-feira a domingo, das 9h30min às 17h30min. O café e as estufas fecham às 17h.
Valor do ingresso: grátis
Estacionamento: sim, grátis
Para grupos maiores de 12 pessoas, deve ser realizado agendamento da visita, pelo telefone 54 3286 4280
É proibido realizar ensaios fotográficos profissionais sem prévio agendamento
Site oficial: http://lavandas.com.br
Le Jardin Parque de Lavandas. Parque com acesso gratuito em Gramado-RS, que reúne em grande área belíssimos jardins, muitas flores e estufas.

Quem mais esteve lá

Devaneios de Biela
Viajar é tudo de bom
Mesmices da Vida

sábado, 25 de março de 2017

Monumento Nacional ao Imigrante, Caxias do Sul

Caxias do Sul, a segunda maior cidade do Rio Grande do Sul, mantem até hoje laços culturais muito fortes com a cultura de seus fundadores. A cultura italiana é sentida por toda a parte: nas feições do povo, na arquitetura, na gastronomia, nos grupos culturais... Para homenagear os imigrantes que desbravaram a região, ainda nos anos 1950 surgiu a ideia da construção de um Monumento ao Imigrante, que acabou sendo inaugurado em 1954.
Monumento Nacional ao Imigrante, em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul. Uma homenagem aos desbravadores da região, mostra um casal de agricultores com seu filho no colo, observando as terras da cidade. Hoje abriga o Museu da Imigração, com exposições permanentes e temporárias.


Localização

O Monumento está localizado na BR-116, rodovia que cruza o centro urbano de Caxias do Sul, no km 150, bem em frente a uma das principais entradas da cidade, em frente ao acesso à Avenida Júlio de Castilhos.


O Monumento Nacional ao Imigrante

O Monumento, imponente em sua localização, foi construído em bronze, com 4,5 metros de altura, e representa um casal de imigrantes e seu filho bebê - no colo da mulher, observando as terras que foram colonizadas. No caso, o casal observa todo o desenvolvimento de Caxias do Sul, uma vez que em sua posição é possível a vista panorâmica de bairros urbanos da cidade. A ideia das figuras do Monumento Nacional ao Imigrante partiu do escultor Antonio Caringi, e foi escolhida em um concurso, com diversos projetos. Além do casal de imigrantes e seu filho, completa o Monumento um grande obelisco adornado com imagens relativas a posse da terra, a agricultura e a união civil e militar unidas pela fé.
Monumento Nacional ao Imigrante, em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul. Uma homenagem aos desbravadores da região, mostra um casal de agricultores com seu filho no colo, observando as terras da cidade. Hoje abriga o Museu da Imigração, com exposições permanentes e temporárias.


Booking.com

O Museu do Imigrante

No mesmo local, em uma cripta construída abaixo do Monumento Nacional ao Imigrante, existe o Museu do Imigrante. Dedicado não somente à cultura italiana, o espaço é utilizado em exposições permanentes que mostram várias culturas que deixaram suas regiões originais e vieram construir uma vida e um país novo, distantes pelo menos um oceano de sua terra natal.
Monumento Nacional ao Imigrante, em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul. Uma homenagem aos desbravadores da região, mostra um casal de agricultores com seu filho no colo, observando as terras da cidade. Hoje abriga o Museu da Imigração, com exposições permanentes e temporárias.

Com exposições que mostram fotos, utensílios e muitos baners com textos, o Museu do Imigrante apresenta parte das dificuldades e necessidades passadas pelas culturas alemã, italiana, japonesa, dentre outras que vieram trabalhar no Brasil. O Museu apresenta, ainda, mostra fotográfica sobre a construção do Monumento externo, maquete da obra, além de reprodução de documentos, como listas de embarque em navios que partiram da Europa para cá.
Monumento Nacional ao Imigrante, em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul. Uma homenagem aos desbravadores da região, mostra um casal de agricultores com seu filho no colo, observando as terras da cidade. Hoje abriga o Museu da Imigração, com exposições permanentes e temporárias.

Com relação a exposições temporárias, elas são rotativas e geralmente apresentam trabalhos de artistas da região de Caxias do Sul. Em nossa visita estavam sendo mostradas obras de mulheres caxienses e sua importância no desenvolvimento da cidade.

Serviço:

Monumento Nacional ao Imigrante e Museu do Imigrante
Ingresso: grátis
Estacionamento: sim, grátis
Tempo da visita: em torno de 30 minutos, pode alongar caso alguma excursão esteja visitando o local
Horário de atendimento: de terça-feira a domingo, das 9h às 17h
Guia: sim, há monitores que explicam sobre a história e exposições.

domingo, 5 de março de 2017

A Fonte da Fertilidade, em Cândido Godói, RS

No noroeste do Rio Grande do Sul, uma pequena cidade leva a fama de "Terra dos Gêmeos". Trata-se de Cândido Godói, município de cerca de 7 mil habitantes, próximo a Santa Rosa e das Missões Jesuíticas. Cândido Godói ganhou esta fama, pois tem um número incrível de gêmeos que nascem por lá. Segundo pesquisas, a frequência de gêmeos em Cândido Godói é dez vezes maior do que em qualquer outro local do mundo!
Cândido Godói, no noroeste gaúcho, tem a fama de "Terra do Gêmeos". a frequência de gêmeos na cidade é 10 vezes maior do que no resto do mundo. Por lá existe a Fnte da Fertilidade. Segundo a lenda, ao beber daquela água a mulher terá filhos gêmeos.

Localização

Cândido Godói está localizada no noroeste gaúcho, próximo à divisa com a Argentina. A cidade fica a 30 km de Santa Rosa, e a 520 km de Porto Alegre. A Fonte da Fertilidade, por sua vez, está na Linha São Pedro, a 11 km do centro de Cândido Godói.


Como chegar

A maneira mais prática para se deslocar até Cândido Godói é de carro. Bem próximo a ela passa a BR-392, com bom asfalto. Caso não possa ou não queira ir de carro próprio, recomendamos alugar um veículo. Pesquise os preços na RentCars.com, maior comparadora de preços de aluguel de veículos da América Latina e garanta sua economia.

Para ir de ônibus, partindo de Porto Alegre há apenas uma linha direta. O ônibus parte de domingo a sexta-feira às 21h30min, e a viagem dura cerca de 7 horas e meia, pela boa empresa Ouro e Prata (cerca de R$160,00). Outra opção é ir até Santa Rosa (cerca de 7 horas de viagem - R$170,00), e de lá partir para Cândido Godói (uma hora de viagem, R$8,00 e diversos horários).

Cândido Godói, no noroeste gaúcho, tem a fama de "Terra do Gêmeos". a frequência de gêmeos na cidade é 10 vezes maior do que no resto do mundo. Por lá existe a Fnte da Fertilidade. Segundo a lenda, ao beber daquela água a mulher terá filhos gêmeos.

Cândido Godói, a Terra dos Gêmeos

Cândido Godói não é uma cidade marcada por atrações turísticas. Na verdade fica longe de quase tudo, e não vale muito a pena ir até lá. Nós, que saímos de Santo Ângelo, sofremos ainda mais. Encaramos cerca de 20 km da uma péssima estrada de terra pelo interior da cidade (não recomendamos este trajeto. O ideal é ir passando por Campinas das Missões e curtir o asfalto). Mas como íamos em busca da Fonte da Fertilidade, pensando em nosso futuros pimpolhos, com calma, chegamos até o centro de Cândido Godói. Andamos um pouco pela região da praça e, depois de sabermos que a Fonte ficava em uma vila do interior da cidade, a 11 km dali, e que o trajeto era de estrada de terra, resolvemos procurar um táxi para nos levar até lá.
Cândido Godói, no noroeste gaúcho, tem a fama de "Terra do Gêmeos". a frequência de gêmeos na cidade é 10 vezes maior do que no resto do mundo. Por lá existe a Fnte da Fertilidade. Segundo a lenda, ao beber daquela água a mulher terá filhos gêmeos.

Depois de uns 25 minutos, chegamos à Linha São Pedro, que é a localidade onde há maior número de gêmeos em Cândido Godói. A comunidade é um pequeno vilarejo, formado por poucas casas de produtores rurais, uma igreja, um salão paroquial, um barzinho, um restaurante e a Fonte da Fertilidade. Tudo isso agrupado em cerca de 200 metros.
Cândido Godói, no noroeste gaúcho, tem a fama de "Terra do Gêmeos". a frequência de gêmeos na cidade é 10 vezes maior do que no resto do mundo. Por lá existe a Fnte da Fertilidade. Segundo a lenda, ao beber daquela água a mulher terá filhos gêmeos.

Quando chegamos lá, confesso que ficamos bastante decepcionados. O local estava um pouco abandonado, com mato descuidado em frente a fonte.... que nem água estava jorrando! Que decepção! Fomos até lá para pegar um pouco de água, mas ela não estava lá! Como assim?! Um morador local nos explicou que o registro que libera a água para a fonte estava desligada, mas que poderíamos pegar água no poço que tinha ali do lado... Por sorte, depois de alguns minutos ele conseguiu ligar a fonte e amenizar nossa desilusão.
Cândido Godói, no noroeste gaúcho, tem a fama de "Terra do Gêmeos". a frequência de gêmeos na cidade é 10 vezes maior do que no resto do mundo. Por lá existe a Fnte da Fertilidade. Segundo a lenda, ao beber daquela água a mulher terá filhos gêmeos.
A Fonte da Fertilidade foi erguida na Linha São Pedro por moradores que acreditam numa antiga lenda local. A lenda diz que há muitos anos um lavrador que morava naquelas terras queria muito ter descendentes. Em uma tarde, após seu trabalho diário, ele parou próximo a vertente das águas para orar e pedir a graça dos filhos. Orou com tanta força e fé que, ao exprimir sua fé através de lágrimas, que misturaram-se ao riozinho, fez com que as divindades passassem o poder de quem se banhar naquelas águas tenham a chance de ter filhos gêmeos, como ocorreu com o lavrador.
Cândido Godói, no noroeste gaúcho, tem a fama de "Terra do Gêmeos". a frequência de gêmeos na cidade é 10 vezes maior do que no resto do mundo. Por lá existe a Fnte da Fertilidade. Segundo a lenda, ao beber daquela água a mulher terá filhos gêmeos.
A fonte representa uma mãe com seus dois filhos no colo. E esse é o desejo dos que procuram essas águas: ter a graça de ter filhos gêmeos. Fato que e tão frequente na Linha São Pedro, que anualmente, em abril, nesta comunidade ocorre a Festa do Gêmeos, reunindo mais de uma centena de pares de irmãos, para celebrar a união.

Serviço

Fonte da Fertilidade
Linha São Pedro, zona rural de Cândido Godói-RS
Distância do centro da cidade: 11 km
Valor do táxi (ida e volta): R$40,00
Mais informações: site da Prefeitura

sábado, 4 de março de 2017

Zoológico de Curitiba

Durante nossas férias de verão, que passamos em Navegantes-SC, aproveitamos para utilizar nossa premiação do evento Vem pra Sampa, meu!. No encontro paulista, fomos sorteados com duas diárias de aluguel de veículos, num oferecimento da RentCars.com, a maior comparadora de preços em aluguel de carros da América Latina. Fomos presenteados com duas diárias de um Logan completíssimo, com ar condicionado, direção hidráulica e até central multimídia! Um luxo só! Para curtir bem esse presente, embarcamos com a família da Lis e fomos até Curitiba, onde moram nossos afilhados, para fazer um passeio diferente: visitar o Jardim Zoológico da capital paranaense.
Jardim Zoológico de Curitiba, Paraná. Um  zoo simples, mas muito bem organizado. Apresenta diversos mamíferos, como leões, girafas, tigres, onças, macacos. Tem setores específicos com grande quantidade de aves. Os cenários são muito bem explorados.

Localização

Rua João Miqueletto, s/nº, Alto Boqueirão
Está inserido na área do Parque Municipal do Iguaçu, na zona sul da cidade de Curitiba.


Como chegar

A maneira mais prática e rápida para chegar ao Zoológico Municipal de Curitiba é de carro. Uma ótima opção é alugar um carro, retirando-o logo na chegada a Curitiba. Para encontrar o melhor preço, recomendamos a RentCars.com. Se preferir ir de transporte público, você deve pegar um ônibus que te leve ao terminal Boqueirão, e de lá tomar a linha Zoológico, descendo na última parada.

Fomo de carro, com auxílio do GPS. O caminho, saindo do centro, foi super correto, e chegamos até lá sem nenhum percalço ou susto. Parte do caminho sedá em uma parte meio rural de Curitiba, onde há alguns sítios que oferecem passeios a cavalo. Uma boa opção para quem tiver interesse!
Jardim Zoológico de Curitiba, Paraná. Um  zoo simples, mas muito bem organizado. Apresenta diversos mamíferos, como leões, girafas, tigres, onças, macacos. Tem setores específicos com grande quantidade de aves. Os cenários são muito bem explorados.
O Zoológico de Curitiba

O Zoológico de Curitiba ocupa uma área de cerca de 600 mil metros quadrados (segundo a Prefeitura de Curitiba). Mesmo estando entre os mais conceituados zoológicos do Brasil, apresenta uma estrutura simples, sem muitos pontos que surpreendam. As instalações são bem limpas, com passeio asfaltado e os animais ficam em lugares bem seguros ao público. O zoo de Curitiba recebe em torno de 650 mil visitantes anualmente. Número que me impressionou, até porque não é uma das atrações mais exploradas da cidade. Durante nosso passeio havia várias famílias com crianças pequenas, que se encantavam com os animais.
Jardim Zoológico de Curitiba, Paraná. Um  zoo simples, mas muito bem organizado. Apresenta diversos mamíferos, como leões, girafas, tigres, onças, macacos. Tem setores específicos com grande quantidade de aves. Os cenários são muito bem explorados.
A visita ao local, sendo bem aproveitada, tem duração de cerca de duas horas. Como o caminho é feito todo andando, é importante levar água e um lanchinho. Na entrada do zoo há alguns bares e restaurantes que vendem salgados, sanduíches, bebidas e sorvetes (mas o preço é bem alto!). No interior do parque há quiosque com mesas e bancos para se fazer piquenique em segurança e sem incomodar ou ser incomodados pelos animais.

O Zoológico de Curitiba é muito arborizado e além dos animais em exposição nas gaiolas ou jaulas, tem grande quantidade de aves que vivem livres. Isso ocorre em decorrência de sua localização se dar às margens do Parque do Iguaçu. Várias aves aparecem pelo zoo para curtir a alimentação e os belos lagos e áreas arborizadas dali.
Jardim Zoológico de Curitiba, Paraná. Um  zoo simples, mas muito bem organizado. Apresenta diversos mamíferos, como leões, girafas, tigres, onças, macacos. Tem setores específicos com grande quantidade de aves. Os cenários são muito bem explorados.
O zoo de Curitiba apresenta mais de dois mil animais em seu acervo. Além da exposição e preservação, o ambiente propicia local seguro para que se busque a reprodução de vários animais (alguns com risco de extinção), além de estudos sobre a vida destes bichos, visando contribuir para o bem estar daqueles que vivem em seu ambiente tradicional. Há parceria com várias universidades, visando a preservação do patrimônio ambiental do planeta.
Jardim Zoológico de Curitiba, Paraná. Um  zoo simples, mas muito bem organizado. Apresenta diversos mamíferos, como leões, girafas, tigres, onças, macacos. Tem setores específicos com grande quantidade de aves. Os cenários são muito bem explorados.
O zoo de Curitiba é uma excelente opção de passeio, principalmente com crianças. Um passeio em meio a natureza, fugindo dos roteiros tradicionais.

Serviço

Horário de funcionamento: de terça a sexta-feiras das 9h às 17h, sábados, domingos e feriados das 10h às 16h
Valor do ingresso: gratuito
Site da atração: aqui

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Zoológico de Rotterdam

Um dos nossos passeios mais esperados pala Holanda se deu fora de Amsterdam. Pegamos um trem na Centraal Station e partimos para Rotterdam, com o objetivo de conhecer o zoológico de lá. Essa ideia nasceu após percebemos que nesse parque, além da exposição de diversos animais, há também um mega aquário, daqueles no qual somos abraçados pela água, pelos peixes. Um aquário por onde passamos em um túneis cobertos de água para observar os tubarões passando. Como nunca tínhamos ido a um desses, a visita se bastava. E não nos arrependemos de ir até lá!
Vista do túnel, no aquário do zoológico de Rotterdam

Localização

Rotterdam Zoo Diergaarde Blijdorp
Blijdorplaan 8, 3041, JG Rotterdam


Como chegar

Saindo da Centraal Station de Rotterdam, bastam cerca de 30 minutos de caminhada, por uma região residencial super agradável para chegar ao zoo. Se preferir, é possível ir de metrô (linha E) ou ônibus (linhas 40, 44 ou 49), em trajetos de pouco mais de 10 minutos, com paradas a poucos metros do portão de entrada do parque.

Elefante brincando no zoo de Rotterdam. novocaroneiro.com


O Jardim Zoológico

O Zoo de Rotterdam é um dos mais importantes da Europa. Recebe em torno de um milhão e meio de visitantes por ano, que podem ver suas 200 espécies de animais, além das plantas disponíveis em seu jardim botânico. Todo o ambiente é muito bem cuidado e pensado, fato que torna o passeio muito agradável, prazeroso. Os animais estão dispostos de acordo com o continente onde encontra-se seu habitat natural (ou seja, os animais africanos ficam concentrados, mais adiante estão os sul americanos...). Isso faz do passeio praticamente uma volta ao mundo animal!
Aves no zoo de Rotterdam - novocaroneiro.com

Como estávamos fazendo um bate-volta de Amsterdam, apenas para passar o dia em Rotterdam, e por não ter pego o trem tão cedo como esperávamos, acabando resumindo um pouco nosso passeio. No zoo, demos uma rápida passada pelas primeiras espécies (pássaros, macacos, tartarugas, lagartos) e logo em seguida fomos conhecer o Oceanium, mega aquário que reúne diversos animais marinhos, que nadavam pertinho da gente!
Oceanium, no Rotterdam Zoo - novocaroneiro.com

O Oceanium é uma estrutura muito grande, que divide os peixes maiores, como tubarões em um tanque muito grande, onde há um túnel para que possamos observar os peixes em 360 graus. É tudo muito lindo, ficamos impressionados! Muito legal ver os peixes nadando, os tubarões passando por cima de nossa cabeça, ou de sentar do ladinho de onde um deles descansa! Além disso, há uma série de tanques menores, onde há peixes ornamentais bem coloridos, águas vivas (e um contraste belíssimo pelas luzes do tanque), caranguejos e até uma lagosta azul!
Oceanium, Rotterdam Zoo - novocaroneir.ocom

Ainda no Oceanium, há uma exposição sobre peixes e outros animais marinhos com muitas informações sobre diferentes espécies. Por ali há, também, em uma praia particular, um grupo de pinguins (que eu acho muito engraçados!).

É um passeio realizado, em grande parte por famílias e as crianças adoram! Mesmo que nosso passeio pelo zoo de Rotterdam tenha sido resumido, recomendamos muito! E isso que não vimos os leões, nem os tigres, os pandas, os ursos polares... Nossa, quanta coisa deixamos de ver!!!
Pinguins no Rotterdam Zoo - novocaroneiro.com


Serviço

Horário de funcionamento: 9h às 18h
Valor do ingresso: 19,50 euros para adultos e 16,50 euros para crianças
Site oficial: https://www.diergaardeblijdorp.nl/en/

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Tur Pop / Literatura / Uma viagem pelos países que não existem

Assim como a televisão, que cada vez mais abre espaço ao turismo, as editoras abrem novos espaços para os viajantes contarem suas histórias. Novos escritores aparecem contando suas experiências, suas motivações e a concretização de seus sonhos de viagens ao redor do planeta. E não falo aqui de guias de viagens tradicionais (e chatos) que somente citam os restaurantes da moda, os hotéis e os endereços das melhores atrações de três mil cidades. De forma muito mais atraente, o que vale para estes novos escritores são as experiências únicas.
Uma viagem pelos países que não existem, de Guilherme Canever - novocaroneiro.com

E por falar em experiências únicas, o que dizer do Guilherme Canever que teve uma série de experiências únicas (!) ao visitar vários países que não são oficializados, e transformar estas histórias no livro "Uma viagem pelos países que não existem"?! O Guilherme viajou por 16 territórios que possuem sua demarcação territorial, cultura, polícia e muitos outros fatores, mas que não são reconhecidos como Estados pela grande maioria de Nações formais existentes.

Canever passou por algumas regiões de difícil acesso e desconhecidas, mas também por regiões das quais escutamos notícias econômicas e sociais semanalmente no Jornal Nacional. Dentre as regiões exploradas pelo viajante, estão o Tibete, Taiwan, Kosovo, bem como a Transnístria, o Chipre do Norte e a Abecásia. Ótima oportunidade para ter informações imparciais de um viajante que passou por lá, sem pressões políticas ou econômicas.

Livro: Uma viagem pelos países que não existem
Autor: Guilherme Canever
Editora: Pulp Edições
Ano: 2016
Páginas: 192
Fotos: várias
Onde comprar; aqui

Estamos de aniversário: 2 anos!

Hoje estamos em festa!! O Novo Caroneiro completa dois anos!! Dois anos de várias viagens, muitos destinos incríveis, experiências únicas e uma vida muito mais cheia de conhecimento e quebra de preconceitos!

Nesses dois anos passamos e levamos você de carona para os seguintes destinos:

Brasil:

Porto Alegre
Gramado
Canela
Ametista do Sul
Farroupilha
Garibaldi
Erechim
Bento Gonçalves
Victor Graeff
Monte Belo do Sul
Pinto Bandeira
Nova Roma do Sul
Cambará do Sul

São Paulo

Penha
Itajaí
Araranguá
São Francisco do Sul
Itá
Balneário Camboriú

Foz do Iguaçu

Rio de Janeiro
Niterói

Holanda:

Amsterdam
Rotterdam
Zaanse Schans

França:

Paris
Versalhes

Uruguai:

La Paloma
Santa Tereza
Montevidéu
Colonia del Sacramento
Punta del Este
Piriápolis

Argentina:

Puerto Iguazu

Além disso, conhecemos parques, museus, estádios, igrejas, monumentos. Passamos por ruas diversas, nos enrolamos com idiomas, pegamos trens errados, estradas erradas, fomos enganados pelo GPS. Aprendemos que nem só do destino se faz uma viagem, mas também de todo o percurso que nos leva até o ponto final.

Conhecemos muitas pessoas legais, outras nem tanto. Percebemos que a receptividade de um povo depende muito mais de nossa expectativa do que realmente do tratamento que ganhamos do outro. Desbravamos muitos sites em busca das melhores passagens. Lemos muitas opiniões para escolher nossas atrações prediletas. Gastamos muito tempo planejando as viagens, às vezes gastando mais tempo no planejamento do que no próprio destino.

Viajamos bastante e mesmo assim muito pouco. Há tantos lugares a serem descobertos. Tantas cidades a serem exploradas. Comidas a serem experimentadas. Hotéis a serem avaliados. Culturas a serem integradas ao nosso conhecimento. Para isso precisaremos de mais. Muito mais que dois, doze ou vinte anos de aventuras pelo mundo. Precisaremos de uma vida inteira!

sábado, 10 de dezembro de 2016

Parque Nacional de Aparados da Serra, Cambará do Sul - RS

Há alguns dias visitamos o Parque Nacional de Aparados da Serra, localizado na zona rural do município gaúcho de Cambará do Sul. Viajamos com alguns colegas de trabalho, visando a integração entre os funcionários da empresa, bem como conhecer um novo local e aproveitar a energia emanada da natureza. E todos os objetivos foram alcançados com sobras, e é sobre isso que falaremos agora.
Parque Nacional de Aparados da Serra, em Cambará do Sul-RS. Uma das mais lindas imagens do interior gaúcho. Já foi cenário de filmes e novelas. Mostra a força do tempo e da natureza.
Localização

O Parque Nacional de Aparados da Serra (assim como o Parque Nacional da Serra Geral) está localizado no extremo norte gaúcho e na porção sul catarinense, ocupando exatamente a divisa destes estados. O acesso ao Parque de Aparados da Serra pode ser acessado através de vias não pavimentadas, no interior do município de Cambará do Sul, no RS. O Parque fica a cerca de 20 km do centro da pequena cidade e não há transporte público até lá. Para percorrer este trecho, pode-se contar com automóvel próprio ou alugado, táxi ou a contratação de traslado (há várias empresas que oferecem o serviço na cidade). Cambará do Sul está localizada a cerca de 190 km da capital Porto Alegre. Entre as duas cidades o trajeto é totalmente asfaltado. De Gramado até o Parque são cerca de 110km, e há algumas empresas que fazem este passeio no sistema bate-volta.

Sobre o Parque

O Parque Nacional de Aparados da Serra teve a sua primeira demarcação no ano de 1957, passando por algumas modificações no decorrer do tempo. Atualmente ele é gerido e administrado pelo ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), que é quem mantem e fiscaliza as instalações do local. O Parque foi criado visando a preservação da biodiversidade da Mata Atlântica, tanto pela incrível beleza cênica, como (principalmente) para a manutenção de diversas espécies e as pesquisas que englobam a natureza local.
Parque Nacional de Aparados da Serra, em Cambará do Sul-RS. Uma das mais lindas imagens do interior gaúcho. Já foi cenário de filmes e novelas. Mostra a força do tempo e da natureza. No interior da sede do Parque, há várias explicações sobre fauna e flora locais.
O Passeio

Partimos de Caxias do Sul e levamos pouco mais de duas horas para chegar ao centro de Cambará do Sul. Ali aproveitamos para tomar um café em uma padaria que oferecia bebidas quentes e geladas, pastéis e bolos diversos, além de biscoitos e roscas de polvilho. Essa parada foi fundamental, pois dentro do Parque não há qualquer estrutura para alimentação. Sem lojas, sem quiosques, sem vendedores. Pode-se acessar o Parque levando lanche, mas é proibido alimentar os animais.
Parque Nacional de Aparados da Serra, em Cambará do Sul-RS. Uma das mais lindas imagens do interior gaúcho. Já foi cenário de filmes e novelas. Mostra a força do tempo e da natureza. É necessário percorrer algumas trilhas para que se tenha a vista dos cânions.

Logo após a esta parada, nos dirigimos à entrada do Parque. Esse trajeto tem cerca de 20km, passando por uma estrada sem pavimentação, com muito cascalho solto. Para fazer este trecho de carro, todo o cuidado é pouco, uma vez que o carro deve deslizar bastante com a quantidade de pedras soltas. No caminho há algumas atrações, como restaurantes, hotéis, lancherias e quiosques com venda de produtos dos agricultores que vivem por ali.
Parque Nacional de Aparados da Serra, em Cambará do Sul-RS. Uma das mais lindas imagens do interior gaúcho. Já foi cenário de filmes e novelas. Mostra a força do tempo e da natureza. É necessário percorrer algumas trilhas para que se tenha a vista dos cânions.

Chegando ao Parque, nosso guia fez o pagamento dos ingressos (mais informações no final deste post) e o ônibus se dirigiu ao estacionamento, disponível também para carros e motos. Dali fomos até a sede do complexo, onde nosso guia deu algumas explicações e onde pudemos ver painéis com várias curiosidades e informações sobre a flora e fauna presentes na área de Aparados da Serra. Dali partimos para a Trilha do Cotovelo, uma das várias trilhas que nos levam à paisagem dos cânions. A Trilha do Cotovelo tem uma extensão de três quilômetros (seis, ida e volta) e pode ser percorrida a pé ou de bicicleta. Ao longo do trajeto da trilha, que é todo demarcado, há alguns riachos, muita floresta, alguns pontos para descanso e, principalmente, belíssimas vistas dos paredões do Itaimbezinho. Para facilitar a visualização da paisagem, há alguns mirantes que propiciam belas cenas da rocha, da Mata atlântica e do Rio do Boi que corre lá embaixo. Ao longe ainda é possível ver algumas das quedas d'água que compõem a paisagem.
Parque Nacional de Aparados da Serra, em Cambará do Sul-RS. Uma das mais lindas imagens do interior gaúcho. Já foi cenário de filmes e novelas. Mostra a força do tempo e da natureza. É necessário percorrer algumas trilhas para que se tenha a vista dos cânions.

Depois de curtimos a natureza e suas belezas, durante o trajeto de retorno da Trilha do Cotovelo fomos surpreendidos por uma garoa que se transformou numa chuva torrencial! Além de nós (que ainda fomos espertos e conseguimos voltar pra sede do parque rapidinho), vários visitantes foram surpreendidos. Alguns chegaram de volta totalmente encharcados! Esperamos por vários minutos até que São Pedro nos desse a chance de percorrer a Trilha do Vértice, que tem a extensão total de um quilômetro, aproximadamente. Mesmo com uma garoa insistente, não poderíamos deixar de fazer essa trilha, que revelaria vários cartões postais. Desta parte do Parque pudemos ver de pertinho e em belos ângulos uma série de cachoeiras, provenientes de riachos e fontes de água formadas no alto dos campos de cima da serra. Esta trilha também é totalmente demarcada e conta com alguns mirantes.
Parque Nacional de Aparados da Serra, em Cambará do Sul-RS. Uma das mais lindas imagens do interior gaúcho. Já foi cenário de filmes e novelas. Mostra a força do tempo e da natureza. É necessário percorrer algumas trilhas para que se tenha a vista dos cânions.
Depois desse incrível cenário, aproveitando que o final da trilha ia ao encontro do estacionamento, nos direcionamos ao ônibus que nos levou ao centro da cidade e, posteriormente, de volta para casa.

Em função de nosso tempo exíguo, fizemos apenas os passeios citados. O Parque Nacional de Aparados da Serra e o Parque Nacional da Serra Geral apresentam outras várias opções de vistas e trilhas. Há passeios a cavalo, passeio no fundo dos paredões, por dentro do Rio do Boi... enfim, muitas chances de encher os olhos com esses lindos cenários.
Parque Nacional de Aparados da Serra, em Cambará do Sul-RS. Uma das mais lindas imagens do interior gaúcho. Já foi cenário de filmes e novelas. Mostra a força do tempo e da natureza. É necessário percorrer algumas trilhas para que se tenha a vista dos cânions.

Serviço

Parque Nacional de Aparados da Serra
Site oficial: ICMBio
Horário de funcionamento: de terça-feira a domingo, das 8h às 17h (salvo exceções indicadas no site. Algumas trilhas também têm horários específicos)
Valor do ingresso: R$8,00 para brasileiros e R$17,00 pra estrangeiros. Menores de 12 anos e maiores de 60 anos estão isentos do pagamento.
Valor do estacionamento: R$9,00 para motos, R$15,00 para carros e camionetes, R$30,00 para ônibus e micro ônibus.
GPS: segundo o site do Parque, alguns GPSs indicam caminho errado para chegar até lá. Acesse o parque sempre através do centro de Cambará do Sul-RS ou de Praia Grande-SC.
Estrutura: Parque equipado com sanitários e bebedouros, mas não há restaurantes ou lojas de souvenirs no local
Pessoal do Banrisul e Novo Caroneiro, posando para foto em frente ao cânion Itaimbezinho, no Parque Nacional de Aparados da Serra

Viagem em 12/2016